domingo, 4 de maio de 2014

Poema de Kabir - Forma e Sem Forma


Isso que vês, não é.

E, para o que é, não tenho palavras.
Até que o vejas, de que vale falar
O erudito derrama-se em falação,

E o ignorante cala-se pasmo.

Alguns visualizam a forma.
Outros meditam no sem-forma.
Mas o sábio o contempla além de ambos.
Sua beleza não se entrega aos olhos.
Sua harmonia não se dá aos ouvidos.
Kabir diz: Funde aspiração e desapego,

E não descerás outra vez ao país dos mortos

Fonte: Poema 49- obra: Kabir, cem poemas

#casadeeuterpe   #kabir   #desapego