quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

As Provas Diárias - Casa de Euterpe























Ao iniciarmos nossa vida escolar, começamos a tomar contato com a palavra “prova” e a ela somos submetidos periodicamente. Muito cedo entendemos que é desse sucesso que depende nosso desenvolvimento escolar.

Durante essa época, todavia, a única coisa que nos preocupa é evidenciar o entendimento das disciplinas curriculares. E, ao longo, da vida, lá vamos nós, ano após ano, respondendo questões, escolhendo alternativas, explanando conceitos.

Depois de finalizada a fase escolar e acadêmica, imaginamos que as tais provas, finalmente, acabaram. E não mais nos preocupamos com isso. Concebemos que, agora, acabaram-se os testes. Esse é um de nossos maiores erros.

É interessante verificar que toda experiência humana concreta é imitação de um modelo celeste, definido e perfeito. Assim, o experimento escolar é apenas uma imitação da vida, pois esta é nossa verdadeira academia; aquela que nos proporciona as verdadeiras provas. Todavia, quando a grande mestra nos testa, não entendemos a oferta e, na grande maioria das vezes, fracassamos justamente por causa de nossa ignorância.

Ao contrário do que ocorre na escola, tardiamente entendemos que nosso desenvolvimento na vida depende do sucesso também nessas provas.

Lembremos de que a palavra “prova” vem do latim probare, e significa “testar, demonstrar que algo tem valor” e de probus, de quer dizer “correto, de valor, virtuoso”.

Sabemos que, como seres humanos, devemos de ter uma meta também humana e que esta é que nos tornemos melhores a cada dia, mais corretos e mais virtuosos, é que aumentemos nosso valor. Por isso, as provas existem para que verifiquemos em que etapa estamos nesse caminho ascensional. Para que verifiquemos o quão probos somos e quanto de valor temos.

Assim, elas são as nossas melhores amigas, pois por seu intermédio temos a oportunidade de comprovar ao Universo que aprendemos determinada lição e de que somos competentes para avançar para a próxima etapa, assim como na escola para passarmos de ano. Sem provas não há desenvolvimento, não há melhoria ou avanço, não há caminhar.

Aquela situação difícil, a circunstância complexa da qual reclamamos, são provas e nada mais. Aquela pessoa com a qual temos dificuldades de convivência, o trabalho árduo também são provas. O humor matutino, o trânsito caótico, as dificuldades familiares ou materiais, sem dúvida, são provas.

É a vida perguntando se sabemos lidar com tais situações, se sabemos resolver as equações. E da mesma forma que na escola, aqui também devemos responder questões, escolher alternativas, explanar conceitos.

É preciso que entendamos que a vida não nos castiga com problemas, mas nos presenteia com provas. Cada uma delas é uma oportunidade de aprendizado e de melhoria que não pode ser desprezada, sob pena de repetição.

As provas, assim, devem, primeiramente, ser reconhecidas e depois vencidas para que não se repitam. Pois quanto mais se repetem, mais lento é o nosso caminhar. Por isso, vale a pena o esforço diário para reconhecê-las e vencê-las.

Na escola, nossos instrumentos para bem realizá-las são os livros e os materiais didáticos em geral.

A vida, como arquétipo de todas as escolas, também nos fornece ferramentas para fazermos as provas: o elmo da Inteligência, o escudo da Vontade e a espada da Coragem.

Usemo-las e deixemos de nos penalizar conosco mesmo e passemos a nos enxergar como pessoas especiais que têm o privilégio de serem postas à prova!


#casadeeuterpe #provas #desafios #aprendizado